Blog Esalqueanos

Tirando o bode do boi

01/09/2022 - Por sergio medeiros
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

286 views 3 Gostei 0 Não gostei

Mês de agosto,
Mês de quem gosto,
O vento venta,
A seca aperta.

 

E, mesmo na secura,
As flores do Ipê, teimosas,
Do branco ao rosa,
Desabrocham com doçura.

 

Contudo, por sede e fadiga,
Já há quem diga que,
Se nada mudar,
Em pouco tempo,
Esse encantamento
Pode acabar.

 

Como viciados,
No óleo dos Sheiks e do pré-sal,
Seguimos, resolutos,
A nos intoxicar…
Afinal, como podemos parar?

 

A atmosfera engrossa,
Esse cobertor sufoca,
Mas, ao arrepio do desafio enfrentar,
Encontramos alguém para culpar

 

Pobres bois,
Tranquilos a pastejar,
Tanto a nos dar,
Ficam de bode,
Quando, por nossos pecados,
Têm que expiar!

 

Ruminantes emitem, discretos,
Seu puro carbono,
Que a natureza sempre soube cuidar
O outro, tirado das profundezas,
Este sim, é o vilão,
Lentamente a nos matar

 

Insanos,
Culpamos a picanha,
E pouca gente estranha.
Acordem!
O mal sai por outros canos!

 

Como, desse Mundo, nada se joga fora,
Ou todo mundo colabora,
Ou faltará consolo para quem chora!

 

Bois, vacas e bezerros,
Sem erro,
Não tem culpa desse nosso desterro,
E podem, bem eles, com zelo,
Garantir-nos comida, fertilizante e tração,
Sendo, ainda, parte da solução.

 

Para aqueles que acusarem,
Disso tudo ser bobagem,
Certeza:
Nunca viram uma pastagem!
Muito menos uma integração,
Nem com árvore,
Nem com plantação.

 

Sem contar os consórcios,
Seres diferentes sendo sócios,
Dando-nos a lição que,
Como diz a canção,
“Um mais um é bem mais que dois”

 

E, assim, nem é um grande segredo que,
Fazendo o certo com a criação desde cedo,
Várias vidas podem passar que
Tudo ainda vai estar em seu lugar!

 

Pouco importa ser do campo ou da cidade,
Para entender que isso,
Por definição, é a tão almejada
Sustentabilidade! 

 

Essa poesia é uma homenagem a todos os colegas, de ontem e de hoje, que escreveram, e escrevem, a história de sucesso da Embrapa Pecuária Sudeste. Neste 26 de agosto, nossa unidade celebra 47 anos, provando, com números, que a pecuária sustentável é possível.

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES