Blog Esalqueanos

Solfejo (Pinduca F68)

28/02/2016 - Por marcio joão scaléa
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

3183 views 0 Gostei 0 Não gostei

SOLFEJO

O Adolescente estava com um problema : fim de ano, semana de provas. Matemática, ciências, história, português, latim, trabalhos manuais e etc. Neste etc. estava o Canto Orfeônico. Um ano inteiro de aulas sobre notas, claves, pautas, andamentos, diapasão, hinos, marchinhas e...S O L F E J O S! E ele precisava de nota alta para fechar a média, mantida a duras penas durante o ano.

 

A professora era uma santa pessoa, com seu lápis preto calçado no fundo com o cartucho vazio de uma bala de revolver, para soar mais alto ao bater contra a mesa marcando o compasso. Agora é binário : um...dois,um...dois,um...dois. Esta é uma valsa, compasso ternário : um (descendo a mão)...dois(mão pra direita)...três(mão pra cima),um...dois...três, um...dois...três. Ela tinha uma linda voz, o Adolescente não se esquecia de uma apresentação feita no salão nobre da escola, onde antes do coral ela havia se apresentado sozinha, cantando uma modinha de Carlos Gomes, acompanhada ao piano :

            "Tão longe, de mim distante, onde irá, onde irá meu pensamento..."

 

Ela lutava para manter a ordem na classe, mas os rapazes se aproveitavam de sua bondade e faziam muita bagunça, o que dificultava o aprendizado. O pior de tudo era o solfejo, que fazia parte da nota final. O aluno podia ter média 10 nas provas escritas do ano todo, mas tinha que ter um mínimo na prova oral, e esse era o problema do Adolescente : ele não conseguia ler as notas e ao mesmo tempo entoá-las. A pauta, cheia de bolinhas (mínimas, semínimas, breves, semibreves...)era grego para ele. Só decorando. E decorar todos os solfejos dados durante o ano estava fora de sua capacidade e de sua disponibilidade de tempo, frente às provas das outras matérias. Bem decorados mesmo, ele sabia só dois solfejos. Seja o que Deus quiser, pensava ele enquanto aguardava sua vez e assistia ao vexame de muitos colegas na prova oral.

 

Chegada sua vez, sorteio de ponto :

- Marcio, seu solfejo é o "Samba Lelê"

 

Alívio, confiança, segurança : era um dos dois decorados!

 

- Pois não professora. É um compasso binário.

 

Do do mi sol mi do ré, fá      

Si si ré fá ré si do, mi            

Do do mi sol mi do ré, fá       

Si si ré fá ré si do, mi            

 

Do, mi do, mi ré, fá fá fá

Si si ré fá ré si do, mi mi mi

Do, mi do, mi ré, fá fá fá

Si si ré fá ré si do, mi mi mi.

 

Aprovado com louvor!


Marcio Joao Scaléa (Pinduca F68) é Engenheiro Agrônomo ex morador da Republica Mosteiro

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES