Blog Esalqueanos

Saiba por que você deve "arriscar" e incorporar práticas de prevenção na sua organização

24/07/2020 - Por mariana de oliveira pedreira
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

337 views 5 Gostei 0 Não gostei

Porque prevenção de acidentes e doenças contribui para a criação de um ambiente de trabalho agradável, cooperativo e respeitoso. Esse ambiente favorável, por sua vez, impacta positivamente na qualidade do seu produto ou serviço e na saúde financeira da organização!

Ações de prevenção de acidentes e doenças buscam como resultado:

  1. Cuidar para que todos voltem para casa saudáveis de corpo e mente para desfrutar a vida fora do trabalho;
  2. Encerrar o dia de trabalho deixando as instalações da organização em perfeitas condições de uso.

Trazer esta perspectiva foi a maneira que encontramos para acabar com esse preconceito de que segurança do trabalho é só “burocra” e custos. Não é nada disso! O objetivo da saúde e segurança do trabalho é cuidar, preservar e aprimorar.

A prevenção usa uma ferramenta universal no mundo empresarial: a gestão de riscos.

Risco é um potencial evento futuro que, se ocorrer, terá efeito positivo ou negativo sobre o negócio.

A capacidade de analisar riscos da sua organização e estimar como e quanto custa gerenciá-los é uma vantagem competitiva e uma ferramenta de controle poderosa dos rumos do negócio.

A gestão de risco pode ser interpretada como a capacidade de identificar o que poderá causar prejuízo ou gerar mais lucro e estimar um tipo de controle que seja viável.

Todas as áreas da empresa podem ser responsáveis por gerar prejuízo ou perda, assim como podem ser o foco da geração de lucro adicional. A capacidade de juntar todos os riscos é a tal da visão holística que o empreendedor desenvolve.

Arriscar, ousar, mas sendo capaz de avaliar o impacto de sua decisão e se preparar para ela!

O mais interessante da gestão de risco é que é uma atividade de menor custo comparada com a gestão do dano. Por quê? Porque gasto planejado é SEMPRE mais barato do que o emergencial!

Gestão de risco não é ‘coisa de engenheiro’: todos fazemos no dia a dia, por exemplo, ao escolher a roupa em função do risco de fazer frio. No ambiente empresarial fazemos gestão de risco ao decidir por um empréstimo ou ao mudar uma estratégia de venda.

Prejuízo e perdas ocorrem quando:

- Seu processo é pouco estruturado, exigindo mais tempo para produção;

- As ferramentas e ou equipamentos não são lá os mais adequados, dificultando a execução de tarefas;

- O(a) colaborador(a) novo(a), que não teve tempo de receber treinamento, erra algum processo e o lote tem que ser retrabalhado ou descartado;

- Os(as) colaboradores(as) se frustram por não serem ouvidos(as) e sua motivação e capacidade de solução de problemas é reduzida e o gestor vira gargalo, pois não consegue resolver tudo;

E aí? Vamos “arriscar” e reverter esses exemplos de prejuízo?

É verdade que existe uma estrutura de governança para garantir essa qualidade de vida no trabalho, seja por meio de leis, estudos técnicos ou avaliando eventos passados. Aqui surge a necessidade de gerar documentação, mas ela é uma consequência de todo o trabalho de gestão. E não o fim!!!

A boa notícia é que a revisão das Normas Regulamentadoras incentivará o empresário a aplicar a gestão de risco. Elas entrarão em vigor em 2021.

Neste Dia Nacional de Prevenção de Acidentes – 27 de julho - espero ter contribuído para mostrar o impacto positivo que medidas de prevenção geram no seu negócio.

Mariana Pedreira

 

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES