Blog Esalqueanos

O que aprendi com essa tal pandemia (Burdog; F90)

08/06/2020 - Por fernando campos mendonça
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

621 views 15 Gostei 0 Não gostei

A ideia de compartilhar experiências é muito interessante, desde que aceitemos ver as opiniões alheias com parcimônia (algo mais ou menos como a soma de paciência e harmonia). Entretanto, o que vemos nas redes sociais parece aquelas brigas nos saloons de antigos filmes de faroeste; nos dá a impressão de que temos de entrar agachados para não tomar uma cadeirada ou um tiro.

Independentemente se você concorda ou não com a necessidade de isolamento, se cloroquina é melhor que tubaína, ou se chega ou não chega a tal vacina, estamos vivendo este momento especial em nossas vidas. Ele nos obriga a repensar condutas e reavaliar atitudes.

Daí, compartilho um pouco de minha visão como professor, aqui na nossa querida ESALQ.

Com o isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19, eu e os demais professores da ESALQ/USP fomos lançados subitamente no EaD (Ensino à Distância), que tem sido um grande (e ótimo) desafio. As limitações de mobilidade e as adaptações necessárias para ministrar aulas e conduzir atividades práticas com os estudantes me mostrou que a maioria de nós não estava pronta para enfrentar tal situação.

Por parte dos estudantes, houve dificuldades de disponibilidade e capacidade de desktops e notebooks, acesso à Internet para alguns e dificuldades (pasmem!) com a instalação e o uso de softwares propostos para tarefas práticas de algumas disciplinas.

De minha parte, estou aprendendo a gravar áudios e vídeos para as aulas (Tentei contratar um dos Williams - Bonner ou Waak - mas os orçamentos superaram minha capacidade) e melhorar o nível didático do material visual.

Isto mostrou 3 fatos:

1) A USP não estava preparada para uma crise desse tipo e desse porte, mas provavelmente haverá um plano de contingência a partir daqui;

2) Eu e a maioria dos professores não estávamos preparados para o EaD, mas nos adaptamos e, creio, faremos nosso plano de contingência;

3) Há um grande caminho a percorrer e, provavelmente, o EaD será intensificado a partir daqui. Para isto, teremos que aprender a utilizar as ferramentas disponíveis, bem como desenvolver novas ferramentas para essa nova forma de ensino e interação.

Saudações esalqueanas a todos, espero que estejam bem. Cuidem-se!

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES