Blog Esalqueanos

O Natal é Agro (Hulq, F-99)

20/12/2019 - Por marco lorenzzo cunali ripoli
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

1372 views 2 Gostei 0 Não gostei

Mais uma vez é Natal, época do ano que contempla o mundo com as belezas das mudanças climáticas e traz todo o simbolismo da estação.  Já pararam para pensar de onde vem tantas peças deste feriado – pinheiros, decorações, alimentos, bebida – e muito mais?  É espantoso como o Natal se relaciona com à Agricultura.

 

As árvores de Natal são peças centrais deste feriado, tanto pela sua beleza como por razões religiosas.  A árvore de Natal, pinheiro ou mesmo outra espécie, representa a paz e o bom ânimo em todo o mundo.  Os chamados “evergreens” (sempre verdes) mantém sua coloração e indicam a possibilidade de nova vida no campo e nas florestas, porque não morrem durante o clima frio severo.

 

No século XV, muitos povos já decoravam suas casas com ramos dos “evergreens” e apenas no século XVI as pessoas começaram realmente a decorar as árvores de verdade.  A primeira fazenda de árvores de Natal foi criada em 1901, ano de fundação da ESALQ (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, coincidência?), sendo que já eram comercializadas desde 1850.  Atualmente há mais de 18 milhões de árvores de Natal colhidas anualmente das fazendas americanas.

 

A “Poinsettia” que compramos em potes hoje é diferente de sua forma original, uma planta maior que cresceu selvagem no sul do México, conhecida por suas belas flores e usada devido as propriedades medicinais para ajudam a tratar febres.  O nome original da flor era "Flor de la Noche Buena" que significa flor da véspera de Natal.  O ministro mexicano Dr. Joel Poinsett foi quem levou aos Estados Unidos a planta e que propagou no país, por isso o nome “Poinsettia” em sua homenagem.

 

O ”Visco” também tem seu simbolismo indicando paz, alegria e dizem ainda que nos tempos antigos, quando os inimigos encontravam o visco nas florestas e áreas arborizadas durante as batalhas, era estabelecida uma trégua até o dia seguinte.  Foi assim que começou o costume de pendurar ramos de visco... como um gesto de boa vontade um para com o outro.  O “Visco” é uma planta interessante porque é um hemiparasita que cresce em galhos ou troncos de outras árvores.

 

O “azevinho”, ou “holly”, é uma decoração tradicional para muitas decorações durante a estação de natal.  Esta planta não apenas adoça o ar, ela permanece com sua cor verde intensa lembrando a todos que a primavera está para vir e junto com a nova estação, uma nova vida.  O “azevinho” simboliza a vida eterna e os frutos vermelhos adicionaram a cor brilhante ao conjunto, tornando-se símbolo das férias de inverno no hemisfério norte.  Os antigos romanos usaram esta planta para decorar “Saturnália”, um festival dedicado a Saturno, o deus da Agricultura.  Até hoje utilizamos o “azevinho” colorido em nossas celebrações e decoração de Natal.

 

E o que é “wassail” e “wassailing”?  É uma saudação e um brinde que simboliza boa sorte e saúde.  “Wassail é a bebida usada para o brinde, feita a partir de vinho adicionando especiarias como gengibre, canela, cravo, pimenta da Jamaica e noz-moscada, bem como fatia de laranjas ou maçãs.

 

Em relação aos inúmeros itens que compõem a ceia de Natal, não precisamos nem falar de onde vem toda a comida!  Enfim, para onde olho eu vejo o Agronegócio abundante e no Natal isso não é diferente... 

 

Desejo a todos um Feliz Natal e próspero 2020.

 

O Agro não para!

 

Marco Lorenzzo Cunali Ripoli, Ph.D. é Engenheiro Agrônomo e Mestre em Máquinas Agrícolas pela ESALQ-USP e Doutor em Energia na Agricultura pela UNESP, executivo, disruptor, multiempreendedor, inovador e mentor. Proprietário da BIOENERGY Consultoria, investidor em empresas e fundador do Programa transformacional “O Agro Não Para”.  Acesse www.marcoripoli.com

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES