Blog Esalqueanos

Isto passará (Vavá; F66)

06/08/2018 - Por evaristo marzabal neves
593 views 1 Gostei 0 Não gostei

Isto passará

Evaristo Marzabal Neves (Vavá - F-66)

Para reflexão de meus alunos

 

Para começar lanço mão de uma passagem encontrada no livro “Coisas que você precisa saber para ser feliz” de Veronique Brontê.


“Não se esqueça de que as pessoas mudam quando se COMPROMETEM, e não porque alguém as critica. A vida é uma só e não devemos nos permitir ficar tristes, ou deixar de viver intensamente. Lembre-se: não importa o que aconteça, nunca perca a esperança!


Um dia pressentindo a chegada da morte, o rei chamou seu único filho, sucessor do trono, tirou um anel do dedo e entregou-lhe, dizendo: - Neste anel há uma inscrição. Quando viveres situações extremas de gloria ou de dor, retira-o e lê o que está escrito.


Passado algum tempo, conflitos com um reino vizinho culminaram numa terrível guerra. À frente de seu exercito, o jovem rei partiu para enfrentar o inimigo. No auge da batalha, seus companheiros lutavam bravamente. Mortos, feridos, tristeza e dor.


O rei se lembra do anel. Tira-o do dedo e lê a inscrição: “ISTO PASSARÁ”.


Ele continuou na luta. Perdeu algumas batalhas, venceu outras tantas e, ao final, saiu vitorioso. Perdeu algumas batalhas, mas ganhou a guerra.


Retorna, então, a seu reino e, coberto de glória, entre em triunfo na cidade.


O povo o aclama. Chama-o de herói. Neste momento, ele se lembra de seu velho e sábio pai. Tira o anel e lê: ISTO PASSARÁ”.


No final deste texto, está incluso “Os homens todos se assemelham por natureza. Eles se fazem diferentes PELOS HÁBITOS que adquirem” (Confúcio). Complementaria com uma reflexão que tenho usado em aula: Não culpem seus pais, sua escola, pois no fim vale o “Eu sou o que de mim fiz, o que desejei ser”. Assuma.


Texto legal, né? Poderia até complementar com Guimarães Rosa “O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. No final, o que ela quer da gente é CORAGEM”. Resiliência, meninada!


Nossa reflexão sobre o texto: “na guerra, ele continuou na luta... Perdeu algumas batalhas...”, mas foi em frente. Nesta altura, mostrou resiliência, motivação para a superação, valorização da autoestima, sair do “status quo” (espírito corintiano).


No retorno, coberto de glória e o povo chamando-o de herói, aclamado, lembrou-se da mensagem do anel: Isto passará. Então, é não ficar “dormindo sobre os louros” ou “ficar deitado em berço esplendido”, ou ainda, “criar fama e deitar na cama”. Ter objetivos, ir em frente que a fama é passageira. Como disseram que “cada pessoa na vida tem 15 minutos de sucesso”, quebre esta máxima e vá atrás de 30, 60 minutos de sucesso, ou até mais.


Ainda como registro, as palavras de César Cielo ao bater o recorde mundial nos 100 m livre (46s91), considerada a prova mais nobre da natação, em Roma (30/07/09): “Pequim foi bom (levou bronze nos 100 m livre), mas sempre quis o ouro da prova mais tradicional da natação. Não esperava nada sobre o tempo. Consegui focar a raia, olhar para frente, não ver nada do lado. É assim que consigo meu melhor desempenho. Deu certo. É o primeiro recorde da minha carreira, espero que o primeiro de muitos”...”Apesar de ser um tempo muito louco, eu sabia que iria faze-lo. Não tem mágica, é trabalho duro” (Folha de São Paulo, 31/07/09, caderno Esporte, p. 1).


Recomendação final: Se você se sente feliz no que faz, útil e realizado, não pare, não estacione. Vá em frente. Inove, supere-se sempre, achando que ainda não chegou lá. Para tanto; “Mens sana in corpore sano”.  Mais a frente: trabalho, motivação, resiliência, família, amigos, lazer, recreação, enfim, tudo que pode representar felicidade, para seguindo Ciro Pellicano, gritar “feliz da vida”: “a última coisa que pretendo fazer na vida é morrer”.

PUBLICIDADE
APOIADORES