Blog Esalqueanos

Dependência emocional: entenda de onde ela vem (Iskrépi; F11)

05/04/2023 - Por luciana okazaki
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

949 views 5 Gostei 8 Não gostei

A impressão de que você não se sente completa. Uma necessidade da presença, da atenção do outro. O medo de estar sozinho e a sensação de que não é capaz de conquistar nada, se não houve alguém ao seu lado.

 

O dependente emocional muitas vezes não tem autonomia para fazer as coisas sozinho. Pede a opinião dos outros para tomar decisões por si próprio e depende da aprovação dos outros. Sente-se...incompleto. Quem é dependente emocional nunca se sente afetivamente alimentado.

 

Você se identifica com essas características? Bem, agora vou te contar de onde vem tudo isso.

 

Essa dependência é uma consequência da ferida do abandono. E começando pelo começo...o que é abandono?

 

< Abandono: deixar; se afastar de algo (ou algum lugar) para sempre ou por um período longo; desamparar >

 

Quando somos crianças e a nossa mente e as emoções são telas quase em branco, não entendemos as situações vividas. Muitas circunstâncias, que para um adulto, seriam tranquilas, para as crianças são sentidas como assustadoramente dolorosas.

 

Imagine uma criança cujo pai sai para trabalhar e fica alguns dias fora de casa. Ou então, ela é levada ao hospital porque está doente e seus pais não podem ficar ao seu lado em tempo integral. A criança não compreende o que acontece e entende aquilo como um ato de abandono.

 

Quem sofreu com a ferida do abandono cria a máscara (que funciona como um escudo de proteção) do dependente, que tem as características que já citei.

 

Agora que você já entendeu de onde isso surge, quero que você preste atenção nestes pontos abaixo. Talvez você identifique alguém que seja assim ou você mesma esteja se encontrando nessa situação.

 

Dentre as cinco feridas emocionais, o dependente é o que mais tende a entrar no papel de vítima. Uma pessoa que entra nesse papel é alguém que encontra dificuldades e obstáculos para tudo com o objetivo de chamar a atenção para si. Se sente refém da atenção de quem o rodeia, precisa se sentir apoiado e amparado. É comum pessoas que sofrem dessa dependência desenvolverem problemas de saúde com frequência, pois é uma forma de receberem atenção.

 

A dramatização é algo recorrente. Parece ser um ímã de problemas, pois dessa forma, recebe a atenção que tanto quer. E ele encara os problemas de maneira vantajosa pois para ele é mais vantajoso ter um problema do que se sentir abandonado. O abandono é mil vezes mais doloroso para ele. Isso tudo acontece inconscientemente.

 

Para que tudo isso se reverta é preciso curar a ferida original, o sentimento de abandono. Isso é feito através de diversas técnicas de desbloqueio e cura emocional, ao longo de um processo terapêutico.

 

Se você sofre com isso, deixe um coração nos comentários. Eu posso te guiar nesse processo para que você se torne independente e tenha autonomia emocional! Você não precisa permanecer nessa dependência para sempre.

 

Luciana Okazaki (Iskrépi; F-11) ex-moradora da República Cupido, é engenheira agrônoma vivendo seu propósito como Terapeuta Integrativa

 

Quer explorar seu mundo interno e ter uma vida com mais saúde mental e bem-estar? Veja outros insights sobre o caminho do autoconhecimento no meu Instagram @luciana.okazaki

PUBLIQUE NO BLOG!