Blog Esalqueanos

CASA DO ESTUDANTE DA ESALQ: 60 ANOS DE HISTÓRIA (Mentão; F73)

27/09/2022 - Por josé otávio machado menten
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

457 views 2 Gostei 0 Não gostei

Fui morador da Casa do Estudante da ESALQ (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"), da USP (Universidade de Sa~o Paulo) de 1970 a 1973. Cheguei em Piracicaba muito jovem, vindo de Jundiaí, depois Varzea Paulista, morador na Granja Santa Terezinha e procedente de Ginásio e Científico em Escola pública. Não conhecia Piracicaba. Vim fazer o vestibular e, sendo aprovado, tinha que buscar uma moradia. Busquei a Casa do Estudante e fui bem recebido.

Inicialmente, fiquei em um quarto coletivo, aguardando o processo de selecao. Sendo aceito, fui para um "quarto de canto", sem banheiro. Usava o banheiro do quarto de um "veterano", que me cedeu a chave. Mais tarde, fui morar no melhor quarto da Casa: no meio do corredor do 3o andar. Os quartos tinham cama, escrivaninha, cadeira e armário embutido. Cada dois quartos, tinha um banheiro de uso comum. E foi neste "novo lar" que estudei, fiz estagios, cursos extracurriculares, etc. Além de formac¸a~o profissional, proporcionada pelos professores da ESALQ, aprendi muito nesta moradia. Na~o apenas sobre agronomia, mas sobre a vida. Voltava pouco para casa. Passava muitos finais de semana em Piracicaba, ou ia para casa de colegas, que moravam em diversas cidades.

Eramos em 130 moradores, dos diversos anos do Curso de Engenharia Agronômica. Nesta epoca a casa era chamada de CEA (Casa do Estudante de Agronomia). So recebia homens. A partir de 1976, com o ini cio de outros cursos na ESALQ, passou a ser denominada CEU (Casa do Estudante Universitário), nome que permanece ate  hoje. Passou a aceitar estudantes do sexo feminino a partir de 1979, tornando-se moradia mista. A diversidade, que  era muito grande, ficou ainda mais intensa.

A ESALQ/USP, tradicionalmente conhecida como "Escola Agrícola", tornou-se uma referencia nacional e internacional, desde o início de suas atividades em 1901. Além de atender os estudantes Piracicabanos (´nativos"), sempre atraiu jovens interessados em agricultura de todo o Brasil e do Exterior. Ao chegarem em Piracicaba, a maioria deixando suas fami´lias e seus lares pela primeira vez, buscavam uma moradia coletiva, as "Republicas". Estas se transformaram em seus "novos lares": locais de muito aprendizado, divisão de responsabilidades e fortalecimento de laços de amizades, que se mantem por toda vida!

Graças a iniciativa do CALQ (Centro Acadêmico "Luiz de Queiroz") desde 1949, e com o apoio do Professor Dr. Jose Benedito de Camargo, enta~o diretor da ESALQ, o projeto de construc¸a~o da Casa do Estudante foi executado: em 14 de setembro de 1962, (para estudantes da Escola Agrícola), a maior moradia coletiva de Piracicaba foi inaugurada! Um predio de tres andares: no te´rreo, salas de leitura, de televisao, de atividades esportivas e culturais, além de espac¸o para preparar refeições rápidas (durante algum tempo funcionou o "Barbada", coordenado por colegas que serviam alimentação  a baixo custo). Nos tres andares superior, 125 quartos, divididos em seis "alas", cada um deles com um bebedouro de água.

O Professor Jose Benedito de Camargo, que  seu nome a Casa do Estudante, não participou da inauguração. Nascido em 26 de outubro de 1911, um Paraibuna - SP, criado em Piracicaba por um tio, faleceu em 18 de outubro de 1960, atropelado por um carro desgovernado em uma avenida em São Paulo - SP. Estava a servico da ESALQ, buscando recursos para a construção da Casa do Estudante. Estava com apenas 48 anos. Como Diretor da ESALQ/USP, sucedeu o Prof. Dr. Walter Ramos Jardim e foi sucedido pelo Prof. Dr. Hugo de Almeida Leme.

De maneira semelhante a Luiz de Queiroz, na~o pode ver sua grande obra concluída. Mas esta eternizado, sendo atribuído seu nome a´ moradia estudantil; uma justa homenagem, sendo sempre reverenciado pelos moradores e ex-moradores.

Foi neste espaco fisico, que recentemente foi reformado, tornando-se mais confortável e seguro, que os estudantes selecionados desfrutaram e desfrutam de saudável convívio.

Nestes 60 anos, muitas experie^ncias formam vividas por seus ex-moradores e esta~o sendo vividas pelos atuais moradores, sempre com muita tolera^ncia, fraternidade e liberdade. Pela CEA, posteriormente CEU, passaram pessoas que se transformaram em grandes profissionais, construi´ram fami´lias e contribuíram para que o agro brasileiro se transformasse. Fomos protagonistas da maior revolução agrícola tropical do mundo. Deixamos de ser importadores de alimentos e nos tornamos uma potência agrícola e ambiental, fornecendo alimentos, fibras naturais e bioenergia a quase um bilhão de pessoas. O Brasil e, atualmente, reconhecido como um dos maiores produtores e exportadores de produtos agrícolas do mundo.

O agro e fundamental para o PIB do país, para a balança comercial e para a geração de empregos e renda da população.

Muito mais do que um espac¸o fisico, a Casa do Estudante vem proporcionando um ambiente de muita camaradagem, apoio mutuo e crescimento individual. Amizades criadas durante os cursos de graduac¸a~o na USP/ ESALQ vem se mantendo durante toda a vida, permaneciendo ate hoje.

Um pouco desta história foi tratada em um livro recém-lançado, de autoria de ex- morador (1967 a 1971), o Eng.o Agro.o Ivan Chaves de Souza: "Contos, Recontos e Vivencias" - Casa do Estudante Universitário, CEU - ESALQ/USP. São mais de 350 páginas com a "história não oficial" da CEU. São depoimentos e lembranças de ex-moradores e atuais moradores, incluindo algumas "lendas".

O principal objetivo do livro foi possibilitar que os moradores da "maior mansão da ESALQ" pudessem "matar a saudade, saboreando alguns dos bons momentos vividos entre tantos colegas, de diferentes origens e culturas", com amizades consolidadas e que permanecem até hoje!

Em 17 de setembro de 2022, foram realizadas as comemorações dos 60 anos da Casa do Estudante Universitário "Prof. José Benedito de Camargo": lançamento do livro sobre a CEU no Museu Luiz de Queiroz, sessão solene no Anfiteatro do Pavilhão de Engenharia, descerramento da placa comemorativa na CEU e almoço de confraternização. O evento contou com a participac¸a~o de um expressivo número de ex-moradores e atuais moradores, diversas autoridades e transporte pelo ônibus que serviu estudantes nas decadas de 1960-1970.

Foi um dia que passou a integrar a história da USP/ESALQ de Piracicaba. Fica registrada a importância de um local que, ao longo dos 60 anos, acolheu e fortaleceu cerca de 2000 moradores, alguns ja´ falecidos, que superaram dificuldades, morando longe de suas familias, com poucos recursos, mas vivendo alguns dos melhores momentos de suas vidas, com bom desempenho acadêmico e se formando cidadãos importantes para todo Brasil e para o mundo. 


Jose´ Otavio M. Menten
Eng.° Agro.° Professor Senior USP/ESALQ 

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES