Blog Esalqueanos

A formação de um cidadão Esalqueano (Vavá, F66)

18/07/2017 - Por evaristo marzabal neves
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

6921 views 0 Gostei 0 Não gostei

A formação de um cidadão esalqueano

Evaristo Marzabal Neves – Junho 2007

(reflexão final, 1º semestre, ingressantes em Engenharia Agronômica)

Estas horas que passamos discutindo, refletindo e analisando estas leituras iniciais com a finalidade de ajudá-lo na administração de seu tempo na vida acadêmica, posso, em sã consciência, admitir que algumas lições ficarão marcadas e, além do mais, mentalmente armazenadas e apreendidas.

 

Inúmeras dicas foram dadas e repassadas no sentido de que saiba aproveitar bem seu tempo universitário, desde que tenha escolhido a carreira certa, e, neste sentido, encontrando prazer, felicidade e alegria em seus dias na ESALQ. Por exemplo, aprendeu que para ganhar tempo é preciso antecipar a aula, lendo o texto e observando conceitos (aprender é tomar conhecimento antecipado), para que em sala de aula o tópico não se constitua novidade (ouvido pela primeira vez) e, à medida que o professor caminha no desenvolvimento do conhecimento, você percebe que apreende (toma conhecimento e o armazena mentalmente) mais rápido e facilmente. Aprendeu, inclusive, que o treinamento, memorização e percepção do conhecimento de qualquer texto não deve ser efetuado no dia anterior à prova, mês(es) depois, pois atua como fator estressante e desgastante, prejudicando, inclusive, em cima da hora, o armazenamento deste conhecimento para a prova. Há um movimento sinérgico de aprendizado (ganhos em eficiência na interação professor-aluno) e forte empatia (ganhos em eficácia) com os resultados deste aprendizado. Ficou clara, também, a compreensão de que agindo com os instrumentos pedagógicos de bem aprender e apreender, fica mais fácil o entendimento do mundo externo, o mercado de trabalho, onde jamais uma empresa irá marcar uma prova dois meses depois de seu ingresso. Na organização, você estará sendo avaliado diariamente, bem diferente da forma de cobrança em uma universidade.

 

Apreendeu, ainda, que o uso de uma agenda não deva ser para simples anotação de compromisso futuro, mas um vaivém, retornando aos dias passados de cada semana, para verificar, consciente e responsavelmente, nos quadrantes do tempo (1º quadrante, a listagem do que é importante e urgente; 2º quadrante o que é importante e não urgente; 3º o que é urgente e não importante, para, finalmente, no 4º quadrante, listar o que não é importante e não urgente), se muito do que foi feito e realizado na semana não se encaixou neste ultimo quadrante, servindo de fator estressante, pois não sobrou tempo para os dois primeiros quadrantes.

 

Assim, organizando sua cabeça e suas ações, sabendo usar bem sua agenda diária, e experimentando delinear seu planejamento estratégico (oportunidades e ameaças no macro ambiente profissional e pontos fortes e fracos de seu micro ambiente, seu íntimo, medidos pelo seu temperamento e conduta), sobrará tempo para tudo (namorar, praticar esportes, atividades de lazer e recreação, incluindo as culturais, de extensão e de responsabilidade social, práticas de iniciação científica e de estágios sob orientação de mestres, organização e disciplina).

 

Você acredita nisso? “Quer amarrar uma aposta” que de forma saudável, isso funciona, mental e fisicamente? Eu topo. Para tanto, o desafio está com você em demonstrar para mim, temporalmente, se dá certo ou não. A responsabilidade é sua de praticar o esquema. Quer apostar?  Experimente.


Evaristo Marzabal Neves, Prof. Titular  –  ESALQ/USP. Nativo, Sócio Mantenedor da ADEALQ , fez parte de diversas diretorias na ADEALQ, escreve regulamente em nosso BLOG

E-mail: emneves@usp.br

PUBLIQUE NO BLOG!
PUBLICIDADE
APOIADORES