Acontece ESALQ

Presidente da ADEALQ fala aos ingressantes de 2015

25/02/2015 - Por assessoria de imprensa
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

2828 views 0 Gostei 0 Não gostei
“Uma vez esalqueano, sempre esalqueano”, destacou Antony Sewell num discurso que exaltou valores da Esalq e também focalizou danos à imagem da instituição decorrentes da CPI da Alesp

Piracicaba – Convidado pela diretoria da Esalq, o presidente da Adealq – Associação dos Ex-Alunos da Esalq -, Antony Sewell, falou ontem aos cerca de 450 calouros de 2015. 

A palestra, com o tema Mais Esalq, Mais Integração, Sem Trote fez parte da programação oficial de recepção aos ingressantes à universidade, que acontece até a próxima sexta, 27. 

Sewell ressaltou a relevância da Adealq. Lembrou que a associação representa hoje mais de 14 mil esalqueanos e enfatizou o protagonismo da entidade, desde a década de 1940, quando foi criada, na defesa dos valores e da imagem da Esalq - “perante a comunidade piracicabana, a USP e a sociedade brasileira”.

“Se há uma coisa que vocês aprenderão na Esalq já no primeiro dia é a seguinte: Existe ex-aluno da Esalq, mas este nunca será ex-esalqueano. Uma vez esalqueano, sempre esalqueano”, frisou Sewell.

O presidente da Adealq também convocou os ingressantes a participar das atividades da associação. “Queremos vocês no nosso time”, disse Sewell. 

Em seguida, o presidente destacou os atrativos da ‘vida esalqueana’ na formação acadêmica. “Estudem muito, façam estágios, pratiquem esportes, viajem pela escola, frequentem o Calq, a atlética, as baladas, as repúblicas e tudo mais que diga respeito às profissões que vocês escolheram”, recomendou Sewell.

Ao se posicionar publicamente contra o trote, além de respaldar, como porta-voz da Adealq, medidas que a direção da Esalq tomou para coibir exageros e humilhações nas atividades de recepção aos calouros, Sewell abordou a importância das atividades de integração na boa convivência entre os estudantes de agora aos próximos anos.  

“É fato que brincadeiras saudáveis e bem-intencionadas unem pessoas que não se conhecem, ajudam a quebrar o gelo. Violência e humilhação, contudo, não cabem no contexto, pois está em jogo a imagem da Esalq”, disse Sewell. 

“Conheçam as repúblicas e morem nelas. É aonde vocês farão amizades que irão durar pelo resto da vida, aceitem os apelidos. Procurem veteranos, atuais e ex-moradores de repúblicas, ouçam as histórias antes de decidir morar sozinhos. Gostaria de ter tempo aqui para contar minha história na república, mas infelizmente não vai dar”, acrescentou o presidente da Adealq.

Ao final do discurso, Antony Sewell mencionou a CPI aberta pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), para apurar trotes nas universidades. O presidente da Adealq estimulou os novos alunos a defender a Esalq. 

“A Adealq está ao lado da Esalq para resgatar a imagem e a reputação da escola. Jamais questionaremos o mérito dessa Comissão Parlamentar, que é legítima. Mas não podemos concordar, em contrapartida, com a série de inverdades envolvendo a nossa escola, que por sinal foi reverberada por aí à farta”, afirmou. 

Sewell conclamou os alunos a uma união de esforços visando a reverter os danos de imagem sofridos pela Esalq. 

“Ajudem a difundir os valores fundamentais da Esalq, sobretudo a ética e o respeito às pessoas, perante seus colegas, sua família e a sociedade. Sejam felizes aqui”, concluiu.



PUBLICIDADE
APOIADORES