Acontece ESALQ

Praga para uns, lucro para outros - Valor Econômico - Bettina Barros

08/05/2016 - Por
Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ.

6929 views 0 Gostei 0 Não gostei

Há poucos anos, a catarinense Cristiane Tibola enxergou a possibilidade de obter lucro onde a maior parte dos produtores rurais só vê prejuízos. Desde setembro do ano passado, a engenheira agrônoma passou a investir na criação de insetos prejudiciais à agricultura - lagartas e percevejos que podem determinar a quebra de uma safra inteira de soja ou milho.

Nove meses depois, Cristiane fornece milhares de ovos e ninfas de insetos para cerca de 30 clientes, entre os quais a Embrapa e gigantes multinacionais como Monsanto e Bayer. Sua Pragas.com, startup alocada na EsalqTec, é considerada uma promessa entre as incubadas no Vale do Piracicaba.

"Identificamos um nicho de mercado importante com a chegada de empresas no Brasil desenvolvendo biotecnologia", diz Cristiane, que abandonou a coordenação de proteção florestal da FuturaGene, braço de biotecnologia da Suzano Papel e Celulose, para se dedicar à nova demanda no mercado. "Houve grande procura por pesquisas e também por pragas que auxiliassem nessas pesquisas".

A Pragas.com é fornecedora direta de algumas das ordens de insetos que mais atormentam o produtor e que, por isso, estão no centro da atenção das pesquisas da indústria de transgênicos e agrotóxicos. As empresas precisam infestar lavouras de teste para entender como as plantas ou os químicos respondem aos ataques - o que garante se suas pesquisas estão caminhando na direção certa ou se serão um fracasso. Ter essas pragas à mão, portanto, é crucial.

A empresa faz vendas pontuais para estudantes e centros de pesquisa, mas são as múltis que garantem a demanda de longo prazo. Há pacotes anuais de entrega de pragas pelos quais um mínimo de 1 milhão de ovos são entregues ao longo de 12 meses. Cristiane não revela o valor dos insetos, nem o investimento na criação dos insetos, mas diz que os lepidópteros (lagartas) dominam a produção - são 2 milhões de ovos por mês - por assolarem muitas culturas. Das duas pequenas salas que a Pragas.com utiliza na EsalqTec saem também, em média, 500 mil ovos por mês de hemipteros (percevejos) e, a partir deste mês, 100 mil coleópteros (pequenos besouros).

O pulo do gato em inovação da Pragas.com, no entanto, ainda está por vir. E não está na entrega da mercadoria, mas no desenvolvimento de uma tecnologia para liberar essas pragas no campo. Com R$ 190 mil em recursos da Fapesp, a empresa está em fase de finalização de um equipamento que fará a infestação de pragas, mas da maneira mais próxima da natureza. Será uma espécie de "pulverizador" de pragas, afirma.

"De cada 30 experimentos, apenas quatro são salvos", diz Cristiane, explicando a importância do momento da infestação. "Isso ocorre porque muitas vezes o inseto não é colocado no momento adequado, ou em número insuficiente, ou ele voa.... se a empresa perde a janela da reprodução da planta, a molécula que está sendo testada [em plantas transgênicas] não é testada. Há a perda do experimento", acrescenta.

O dispositivo para assegurar a infestação segura está sendo validado com os clientes. A expectativa é que ele esteja pronto para comercialização no segundo semestre.



PUBLICIDADE
APOIADORES