« Blog #ESALQUEANOS

O Novo Rural (Clodô, F99)

14/05/2017


0 0

O Novo Rural é um conceito que esta tomando força nos grandes centros urbanos como uma opção viável no regramento de uso de solo, que hoje contempla apenas as modalidades rural ou urbana.

Para entendermos e vislumbrarmos o que pode ser o Novo Rural, precisamos lembrar do que era o rural em nossa cidade a pouco mais de meio século atrás.

O rural em nossa cidade era formado por diversas fazendas que por sua vez abrigavam diversas famílias. Em uma fazenda encontrávamos todas as classes sociais interagindo no dia a dia. Tínhamos o dono da fazenda, os administradores e os colaboradores específicos, todos morando e trabalhando com suas famílias em prol de um objetivo comum, a fazenda. O dono da fazenda, via de regra, era sempre um empreendedor, com estudos e conhecimentos acima da média, que compartilhava sua educação com seus colaboradores em prol do desenvolvimento da propriedade. Em uma fazenda, tínhamos atendimento médico particular, tínhamos professores particulares, tínhamos igrejas, tudo organizado e gerido pelo "fazendeiro". Mas a vida não era fácil, o trabalho era braçal e cansativo, e existia o sonho de uma vida melhor, fora dali, na cidade, onde empreendimentos buscavam a realização de outros sonhos.

E assim pouco a pouco os filhos dos fazendeiros, os filhos dos administradores, os filhos dos funcionários foram debandando, e as fazendas foram ficando solitárias esperando a cidade bater em suas portas para enterrar de vez um modelo de vida que um dia existiu. Muitas fazendas viraram cidade, algumas viraram áreas particulares de lazer e algumas sobreviveram como fazendas mesmo, a duras penas, esvaziadas, sustentadas pela paixão de seus proprietários. Proprietários que não conseguem mais sustento da terra, e pelo contrario, precisam de recursos externos para manter suas fazendas de pé.

Como tornar hoje em dia, no entorno de grandes metrópoles, uma fazenda sustentável, economicamente e ambientalmente, como produzir se não temos mais pessoas? Não temos mais dinheiro? Não temos mais incentivo? Como preservar a natureza sem desequilibrar a função social da propriedade?

Este é o desafio do Novo Rural, equacionar, com o pé no chão, todas as variáveis existentes para criar condições que possibilitem a preservação das características rurais no entorno dos grandes centros urbanos propiciando qualidade de vida para toda a cidade.

Seja na cidade ou no campo, para desenvolver, crescer, reconstruir, evoluir é preciso empreender, e para empreender é preciso uma visão de futuro e um regramento claro que favoreça o caminho a ser seguido.

O Novo Rural deve atender a essa necessidade de empreender, ele deve possibilitar que as propriedades recebam de volta as pessoas, para morar, para produzir, para visitar, para preservar, resumindo... Para cuidar.

Que pessoa que não tem seus valores baseados na vida rural, de seus pais, avós ou bisavós? O rural esta no inconsciente de todos. 

O Novo Rural deve resgatar a vida no campo favorecendo empreendimentos vendáveis que contemplem harmoniosamente, moradias com baixa densidade populacional, produção rural, preservação ambiental, serviços ambientais e turismo. Empreendimentos que ao serem implantados recuperem em seu entorno as estradas rurais, criem parques lineares, passagens de fauna, tragam segurança, transporte, lazer e saúde para o campo, garantindo de forma sustentável a qualidade das águas e do ar no entorno das grandes metrópoles. Acima de tudo o Novo Rural requer criatividade para transformar, baseado na sustentabilidade, oque está velho em novo.

 Rodolpho Schmidt (Clodô, F99) é Eng Florestal, Ex Morador da República Kpixama, Empresário sócio da CBFT - Cia Brasileira de Florestas Tropicais

Texto publicado no Correio Popular de Campinas no dia 13/04/2017 - Em continuidade ao texto "Campinas precisa de mais áreas urbanas?" publicado no dia 28/02/2017 no Correio Popular de Campinas, baseado na revisão do plano diretor em andamento no município de Campinas.

Texto publicado no Correio Popular de Campinas no dia 13/04/2017 - Em continuidade ao Texto "Campinas precisa de mais areas urbanas?" publicado no dia 28/0/2017 no mesmo joornal - Baseado na revisão do plano diretor em andamento no Município de CAmpinas


0 0






Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção aberta à manifestação de esalqueanos são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ
Todos os direitos reservados © ADEALQ 2017 - Desenvolvido por Estratégia1
facebook twitter linkedin