« Blog #ESALQUEANOS

MST no Gramadão (Clodô; F99)

15/11/2017


15 1

Em minha opinião este assunto esta virando um bixo de 7 cabeças.

000128-edificio_central_atual.jpg

Entendo que o Professor Sorrentino, como qualquer outro colaborador da ESALQ, deveria ter ao menos protocolado um comunicado sobre a ocorrência do evento que organizou, por menor que fosse este evento. Este foi seu erro, e não o de buscar expor, dentro da universidade, a Reforma Agraria como é feita no Brasil.

A Reforma Agraria, nos moldes que conhecemos, não funciona, pelo simples fato de depender do estado, completamente inoperante neste país. Talvez o evento do Sorrentino pudesse despertar em algum aluno esta percepção... Sei que é difícil, uma vez que somos acostumados, nas escolas e universidades a repetir, ao invés de construir o conhecimento.

Quanto ao conteúdo do evento, o Sorrentino, como a maioria dos professores, deve estar preso as suas "Transparências", repetindo, ano após ano a mesma ladainha, mesmo sem usar o retroprojetor, caso do Sorrentino, ao invés de construir novos conhecimentos. Este é um problema da educação brasileira, isto se reflete nas mídias sociais, onde as pessoas se apegam a um ponto de vista e ficam repetindo jargões, sem a capacidade de raciocinar e refletir, de fato, sobre os fatos.

Fomos educados para assistir uma aula, copiar o conteúdo da lousa ou da transparência no caderno, decorar aquilo e replicar em uma prova. É justamente o que fazemos hoje em dia, pegamos um ponto de vista de alguém, copiamos e ficamos replicando nas enfadonhas discussões, achando que estamos certos e merecemos uma boa nota por demonstrar entender, e repetir um ponto de vista "aprendido".

Pelo que conheço da disciplina do Sorrentino, prefiro imaginar que ele não vai tomar um lado formando um embate, o bom professor não deve formar opinião, deve construir conhecimentos, acredito que ele tenha inteligência de sobra para entender que não existe uma única verdade. Minha preocupação é, deste evento medíocre ser usado por um grupo falido para movimentar um dos lados desta roda maldita que repete as coisas sem raciocinar, e depois esta roda maldita continuar girando fazendo com que outra leva de papagaios charleiem, de seu lado, criando um embate onde nada se constrói.

Esta reflexão vale para quem defende seu ponto de vista cegamente, seja ele azul, vermelho ou laranja!!!

Rodolpho Bochicchio do Amaral Schmidt (Clodô; F99) é socio da CBFT, Ex Morador da Republica Kpixama
15 1






Atenção: Os textos e artigos reproduzidos nesta seção aberta à manifestação de esalqueanos são de responsabilidade dos autores. O conteúdo publicado não reflete, necessariamente, a opinião da ADEALQ
Todos os direitos reservados © ADEALQ 2017 - Desenvolvido por Estratégia1
facebook twitter linkedin